Dicas

Vinhos

Enologia para leigos: 7 erros mais comuns dos iniciantes em vinhos

É de conhecimento popular que beber vinho traz diversos benefícios à saúde. Por isso, é natural que as pessoas queiram sempre escolher bons rótulos e degustar a bebidacom amigos e com a família. Contudo, sabemos que inserir-se no universo da enologia nem sempre é algo simples

E, para que você possa apreciar essa bebida de maneira correta e com mais prazer, listamos nesse post os 14 principais erros de iniciantes em vinhos. Assim, você aprende também como evitá-los. Interessado? Acompanhe e confira!

 

1. Servir o vinho na temperatura errada

A temperatura influencia bastante na percepção que você pode ter do vinho; Quando ele é servido muito quente, o álcool se sobressai e a degustação deixa de ser prazerosa.

Em contrapartida, se a bebida for servida muito fria, corre o risco de perder completamente o seu gosto e os seus aromas, tornando a prova sem graça e, em alguns casos, até mesmo desagradável.

Por isso, servi-lo na temperatura correta é fundamental para que a bebida expresse todo o seu potencial. É preciso, inclusive, ter um cuidado especial em cidades que experimentam grandes oscilações de temperatura de acordo com a época do ano.

2. Julgar o conteúdo pelo rótulo

Não deixe que o rótulo e o formato da garrafa sejam os principais fatores a influenciar você na decisão entre um vinho ou outro. Afinal, alguns produtos até contam com bons designs e ilustrações, mas podem não fazer tão bonito quando estiverem na taça.

O importante é lembrar que a qualidade do vinho não é equivalente à beleza do seu rótulo, à concavidade do recipiente ou mesmo do tamanho da garrafa. Assim, se você está em dúvida sobre qual vinho escolher para uma ocasião especial, busque a opinião de críticos ou peça ajuda para o especialista em vinhos do estabelecimento. 

3. Achar que rolha é a melhor opção

Frequentemente, as pessoas acham que os vinhos fechados à rolha são produtos de melhor qualidade em relação aos lacrados com tampa de rosca — também conhecidas como screw caps

Mas, na realidade, as tampas de rosca são muito eficientes para a vedação das garrafas. O maior objetivo desse tipo de fechamento é dificultar a entrada de oxigênio no recipiente, garantindo que as bebidas permaneçam frescas e preservadas até seu consumo.

4. Beber sempre o mesmo vinho

Esse é um dos mais comuns erros de iniciantes em vinhos. Algumas pessoas, assim que encontram um tipo de vinho de que realmente gostam, não trocam aquele exemplar por nada, com medo de errar nas escolhas futuras.

Contudo, isso pode impedir a ampliação de seu conhecimento sobre essas bebidas, além de fazer com que você perca oportunidades de provar vinhos extraordinários.

Assim, se você tiver interesse em sair do patamar dos iniciantes em vinhos, torne sua experiência na degustação o mais variada possível. Sempre que puder, experimente vinhos de outros tipos de uva, de outras regiões, climas e estilos.

5. Encher demais a taça

A apreciação da bebida também faz parte da experiência de tomar vinho. Ao encher demais a taça, você não considera o espaço vazio que é necessário para girar o vinho, expandir seus aromas e oxigená-lo.

Com a taça muito cheia, também não é possível incliná-la para observar a cor, as lágrimas e outras características da bebida. Além disso, o vinho pode esquentar e proporcionar a você uma experiência diferente da esperada. 

Por isso, para garantir uma experiência adequada de degustação, a forma correta de servir é completar cerca de 1/3 da capacidade da taça.

6. Deixar o vinho “respirar”

Se você já leu algum conteúdo sobre vinhos, ou mesmo viu a cena em algum filme ou documentário sobre o assunto, é provável que saiba que deixar a bebida respirar é um procedimento muitas vezes adotado pelos entendedores do assunto.

Isso porque, ao entrar em contato com o vinho, o oxigênio acelera seu processo de oxidação, “envelhecendo-o” mais rapidamente e acentuando suas melhores qualidades.

Contudo, é necessário esclarecer que essa não é uma técnica recomendada para todos os tipos de vinho. Vinhos brancos, por exemplo, não devem passar pelo processo de respiração.

7. Sacudir espumantes

Uma cena típica de festas de Réveillon mundo afora: quando o relógio marca a meia-noite e a entrada de um novo ano, centenas de pessoas pegam o o espumante cuidadosamente escolhido para celebrar a data  e o sacodem vigorosamente antes de abri-lo. O resultado? O estouro típico e o arremesso da rolha metros adiante.

Bem, por mais divertido e festivo que pareça, saiba que essa não é a maneira mais adequada de abrir espumantes. Primeiramente, pelo desperdício, visto que grande parte do líquido transborda e se perde na brincadeira.

Além disso, sacudir um espumante antes de beber faz com que ele perca o gás e o perlage, tão importantes na experiência de degustação desse tipo de bebida. Assim, a melhor maneira de abrir um espumante — e apreciar o seu melhor — é devagar.

Dicas Rede Mais